sábado, 31 de outubro de 2009


Há dias que a gente fica meio endiabrada,
Meia palavra já é uma frase de impacto capaz de arrepiar o mais frio dos seres humanos!
Há dias que o vermelho nos cai melhor, que a unha cumprida é de grande serventia
Que o olhar se torna mais malioso
Que o toque tem um "que" de selvageria
Sinais claros que a "menina do papai" tirou folga
Quanto mais quente, mais intenso!
No jogo do amor cada peça encaixada é a certeza que cresci!!

Roberta Seoane e Silva em 31/10/09 as 23:00h

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Navegue...


Navegue,
descubra tesouros,
mas não os tire do fundo do mar,
o lugar deles é lá.
Admire a lua,
sonhe com ela,
mas não queira trazê-la para a terra.
Curta o sol,
se deixe acariciar por ele,
mas lembre-se que o seu calor é para todos.
Sonhe com as estrelas,
apenas sonhe,
elas só podem brilhar no céu.
Não tente deter o vento,
ele precisa correr por toda parte,
ele tem pressa de chegar sabe-se lá onde.
Não apare a chuva,
ela quer cair e molhar muitos rostos,
não pode molhar só o seu.
As lágrimas?
Não as seque,
elas precisam correr na minha, na sua, em todas as faces.
O sorriso!
Esse você deve segurar, não deixe-o ir embora, agarre-o!
Quem você ama?
Guarde dentro de um porta jóias, tranque, perca a chave!
Quem você ama é a maior jóia que você possui,
a mais valiosa.
Não importa se a estação do ano muda,
se o século vira e se o milênio é outro,
se a idade aumenta;
conserve a vontade de viver,
não se chega à parte alguma sem ela.
Abra todas as janelas que encontrar
e as portas também.
Persiga um sonho,
mas não deixe ele viver sozinho.
Alimente sua alma com amor,
cure suas feridas com carinho.
Descubra-se todos os dias,
deixe-se levar pelas vontades,
mas não enlouqueça por elas.
Procure,
sempre procure o fim de uma história,
seja ela qual for.
Dê um sorriso
para quem esqueceu como se faz isso.
Acelere seus pensamentos,
mas não permita que eles te consumam.
Olhe para o lado,
alguém precisa de você.
Abasteça seu coração de fé,
não a perca nunca.
Mergulhe de cabeça nos seus desejos
e satisfaça-os.
Agonize de dor por um amigo,
só saia dessa agonia se conseguir tirá-lo também.
Procure os seus caminhos,
mas não magoe ninguém nessa procura.
Arrependa-se,
volte atrás,
peça perdão!
Não se acostume com o que não o faz feliz,
revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças,
mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se achá-lo, segure-o!

(Fernando Pessoa)

Música do Dia:Paciência
Composição:Lenine
Interpretação: Chicas
(Melhor que a Original na minha opinião)


Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de
alma
A vida não para
Enquanto o tempo acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora vou na valsa
A vida e tão rara
Enquanto todo mundo espera a cura do mal
E a loucura finge que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência
O mundo vai girando cada vez mais veloz
A gente espera do mundo e o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência
Será que é tempo que lhe falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara(Tão rara)
Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Mesmo quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei, que a vida não para(a vida não para não)
Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Mesmo quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei, que a vida não para(a vida não para não)
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma


Créditos:

Texto de Fernando Pessoa enviado pela minha amiga Daniela
Imagem: Google
Letra: Site Vagalume


quinta-feira, 29 de outubro de 2009



"Quando os olhares se cruzam
Um total frenesi acontece
Fazendo com que as cores antes distorcidas pela escuridão da vida,
Fiquem mais vivas e claras do que nunca
A certeza de que no fim tudo é possivel
Tornando minha caminhada mais leve
Quando os olhares se cruzam
Vejo um fio de esperança ao meu redor
Um baú de amor prestes a ser descoberto
Tristeza bem longe de mim"

(Roberta Seoane e Silva em 29/10/09 as 20:49h)

terça-feira, 27 de outubro de 2009



Para viver de verdade, pensando e repensando a existência,
para que ela valha a pena,é preciso ser amado; e amar; e amar-se.

Ter esperança; qualquer esperança.

Questionar o que nos é imposto, sem rebeldias insensatas
mas sem demasiada sensatez.

Saborear o bom, mas aqui e ali enfrentar o ruim.

Suportar sem se submeter, aceitar sem se humilhar,

entregar-se sem renunciar a si mesmo e à possível dignidade.

Sonhar, porque se desistimos disso apaga-se a última claridade
e nada mais valerá a pena.

Escapar, na liberdade do pensamento,
desse espírito de manada que trabalha

obstinadamente para nos enquadrar,seja lá no que for.

E que o mínimo que a gente faça seja, a cada momento,

o melhor que afinal se conseguiu fazer.


(Lya Luft)


Se um dia alguém fizer com que
se quebre a visão bonita que você tem de
si, com muita paciência e amor reconstrua-a.
Assim como o artesão recupera a
sua peça mais valiosa que caiu no chão,
sem duvidar de que aquela
é a tarefa mais importante,
você é a sua
criação mais valiosa.
Não olhe para trás.
Não olhe para os lados.
Olhe somente para dentro, para
bem dentro de você e faça
dali o seu lugar de descanso,
conforto e recomposição.
Crie este universo agradável para si e seja feliz

(Brahma Kumaris)




domingo, 25 de outubro de 2009

Texto: Manhã sem vestigio
De: Carlos Heitor Cony


Faz tempo: tinha as manhãs livres, alma e corpo também livres.
Conhecia um atalho que subia para o morro onde havia paisagem e solidão.
Uma antiga estrada de saibro, toda arrebentada, parecia-me impossível para carro.
Ia a pé, então, saboreando os passos e o sol que descia sobre meus ombros e me abençoava.

Fui lá diversas vezes. Geralmente, ia de mãos abanando, apenas pelo prazer de andar, ter o sol e a manhã. Raramente levava um livro.
De qualquer forma, sempre sabia que ia para um lugar onde podia ficar sozinho e tranquilo,
pensar em coisas que aqui embaixo já ia perdendo o hábito de pensar.

Encostava a cabeça num pé de quaresmeira, que, em determinadas épocas do ano,
em fevereiro, sobretudo, ficava todo roxo.
Deixava o maço de cigarros ao lado e consumia minha manhã e minha liberdade
procurando ressuscitar um trecho de minha vida, uma etapa de minha caminhada.
Na realidade, nada ia procurar, deixando que a liberdade
e a manhã me levassem a um roteiro que escolhia na hora, sem saber onde iria dar,
nem mesmo se me daria em algum lugar.

Destacava um ano: 1943, por exemplo.
E começava por janeiro: Itaipava, passeios a cavalo, padre Castro
Pinto lendo os telegramas que falavam da guerra, o tombo do Macário,
a noite em que fiquei preso na despensa -a chave quebrara na fechadura
e tive de dormir em cima dos sacos de farinha, só no dia seguinte vieram me buscar.

-Isso não foi em 1943. Foi em 42. Talvez em 44. Talvez no ano passado, em Marienbad.
Pois, em manhã assim, ouvi de repente um ruído: o carro subia, gemendo,
a velha estrada. Logo vi, coberto pelas moitas do capim mais alto,
a capota do carro fazendo a curva e, logo depois, os gordos pneus,
maltratados pelas pedras e pelo calor que o carro me trouxe subitamente,
quando estacou a minha frente.

-Desculpe, não viemos incomodar ninguém.

A frase era ociosa, mas o homem que saiu do volante julgou-se obrigado a dizer qualquer coisa.
Eu poderia dizer coisa parecida, "também não quero incomodar ninguém",
mas preferi ficar quieto e aguardar os acontecimentos, que logo começaram a acontecer.

O homem do volante deu a volta por trás do carro e abriu a outra porta.
Do ângulo que estava, deitado quase no chão, não via quem vinha ali.
E vi primeiro uma perna gordinha e queimada de praia.
Depois, um joelho adolescente, e logo uma saia azul-marinho.
Não olhei mais nada. Vi depois o vulto da colegial sumindo pelo início da mata,
os cabelos louros batendo nos ombros, a blusinha justa falando de uma seiva
que eu sentia sem precisar olhar para a sua juventude.

Sei lá quanto tempo demoraram.
Pensei no ano de 1943, pulei para o de 1952,
recitei mentalmente todos os poemas de Verlaine que sabia de cor,
bolei a história para um conto encomendado por uma editora
e já estava disposto a vir embora quando o casal ressurgiu das matas.

Olhei bem a cara do homem. Era mais velho que eu, tinha uns 40 anos, ou mais.
Aliança no dedo e anel de advogado ou de contador.
Não olhei a cara da moça nem a blusa, para não ver as iniciais do colégio.

Novamente a saia azul-marinho, o joelho adolescente,
a perna gordinha, o baru1ho da porta fechando, o ronco do motor,
a capota sumindo pelas moitas de capim.

Estava só, novamente. Nada parecia ter acontecido ali.

À minha frente, nada indicava ter um carro parado ali,o homem com anel no dedo,

o joelho adolescente e forte, a saia azul-marinho de um colégio ignorado.
Nem mesmo a marca dos pneus ficara no saibro castigado pelo peso do automóvel.
Nenhum vestígio na manhã de sol.

Então vim embora, sentindo na garganta uma coisa amarga que me faz ainda ter vergonha de mim mesmo
e, ao mesmo tempo, sentir uma impotente inveja das coisas que podem acontecer com os outros,
tornando-me cúmplice e vítima de um mundo que eu não condeno, apesar de não amá-lo.


Imagem retirada da Internet

Texto recebido por email pela Joyce!



quinta-feira, 22 de outubro de 2009

video
Poucos são aqueles que encontram o Amor,
mesmo ele estando em todas as coisas criadas por Deus!
Temos o hábito de atribuir tamanha alegria a uma pessoa,não está totalmente errado!!!
Quem não quer ser feliz? Eu quero!
Mas não se deve fazer seu mundo girar só em torno disso
No fim pode se tornar uma baita decepção!
Ficam as marcas de um sonho destruido
Ficam todas aquelas palavras por dizer
A canção já não nos traz alegria
Uma angustia avassaladora nos toma como reféns
O que fazer agora?
Sé o "querer bem"já não importa tanto

É como se a chuva fosse mais forte do lado de cá
Cruzo meus braços para o desamor e sigo recolhendo cada pedra no meu caminho

" O pra sempre ... sempre acaba"
Renato Russo


Roberta Seoane e Silva em 22/10/09 as 22:18h






segunda-feira, 19 de outubro de 2009

...Em prantos....

Como keria sumir daki
Não sentir o que sinto qdo estou com vc
Keria aceitar que nossas vidas não estão irterligadas agora, keria sumir!!
Keria ir pra longe, keria um minuto de paz
Keria não me sentir uma idiota
Keria ouvir:" vc nao tem chance nenhuma comigo"
Sorrir .... fechar a porta e seguir a vida
Que raivaaaaaaaaaa!!
Não consigo fechar a merda de uma porta!!!!
Incapacidade é foda!!!!

(Segunda, 19/10/09 as 0: 57h)

domingo, 18 de outubro de 2009


Fechadinha pra balanço!!

Fechada para me recompor
Fechada para não me magoar
Fechada para não sonhar demais
Fechadinha pra balanço
Não tente me entender, não tentarei me explicar
Ignora-me se assim for melhor pra vc
Fuja daquilo que te inquieta a alma
Fechada para palavras fingidas
Para sonhos que jamais se realizaram
Fechadinha para balanço

Roberta Seoane e Silva em 18/10/09 as 17:57h


*Imagem retirada da internet



sábado, 17 de outubro de 2009


Delicadeza

A alma é invisível,
um anjo é invisível,
o vento é invisível,
o pensamento é invisível,
e no entanto,
com delicadeza...
se pode enxergar a alma,
se pode adivinhar o anjo,
se pode sentir o vento,
se pode mudar o mundo,
com alguns pensamentos...
(Roseana Murray)

“A estrada da vida
pode ser longa e áspera.
Faça-a mais suave,
caminhando
e cantando...
com as mãos cheias
de sementes.”

(Cora Coralina)
Perguntei a um sábio,
a diferença que havia
entre amor e amizade,
ele me disse essa verdade...
O Amor é mais sensível,
a Amizade mais segura.
O Amor nos dá asas,
a Amizade o chão.
No Amor há mais carinho,
na Amizade compreensão.
O Amor é plantado
e com carinho cultivado,
a Amizade vem faceira,
e com troca de alegria e tristeza,
torna-se uma grande e querida
companheira.
Mas quando o Amor é sincero
ele vem com um grande amigo,
e quando a Amizade é concreta,
ela é cheia de amor e carinho.
Quando se tem um amigo
ou uma grande paixão,
ambos sentimentos coexistem
dentro do seu coração.

(William Shakespeare)

quinta-feira, 15 de outubro de 2009


" Depois de algum tempo você aprende que
verdadeiras amizades continuam a crescer
mesmo a longas distâncias,
e o que importa não é o que você tem na vida,
mas quem você tem na vida."
(A.D)


"Somente aqueles que
tem a coragem de sonhar,
ousar e superar, podem
viver os dias
com a certeza de
Vencer!"
(A.D)

“Pede-me“

Pede-me tudo o que quiseres, pede
Minh’alma, o coração, a própria vida;
Pede-me o céu, a estrela preferida
E o meu amor que o teu olhar não mede.

Pede-me o sol, a madrugada em festa,
Da cachoeira as eternais madeixas;
Se queres o murmúrio da seresta,
A minha lira te darei sem queixas.

Pede-me o riso e sorrirei cantando;
Se pranto queres, chorarei de dor
E a vida inteira passarei chorando.

Pede-me tudo o que quiseres ter:
A lua, o sol, a vida, o meu amor,
Mas não me peças para eu te esquecer!
(A.D.)
Não me provoque , tenho armas escondidas...
Não me manipule , nasci para ser livre...
Não me engane, posso não resistir...
Não grite , tenho o péssimo hábito de revidar...
Não me magoe , meu coração já tem muitas mágoas...
Não me deixe ir , posso nunca mais voltar...
Não me deixe só , tenho medo da escuridão...
Não me tente contrariar , tenho palavras que machucam...
Não me decepcione , nem sempre consigo perdoar ...
Não espere me perder para sentir minha falta !

(Clarice Lispector)
"O Sofrimento é peça útil do quebra-cabeça da vida...
Sem ele, seríamos fúteis e até
frágeis para lidarmos com as oscilações
da caminhada...Não temamos as dores que nos são
impostas e sim, filtremos delas as lições
para nosso crescimento!"
(A.D)



terça-feira, 13 de outubro de 2009

Hoje no caminho de volta pra casa...
O sono tentava me dominar, o estomago roncava
loucamente já que o almoço tinha ficado a leguas de distancia...

Liguei o som numa radio que não gosto tanto,
mas valia TUDO para não dormi! e apesar
de ser uma música relativamente calma,aquilo me manteve acesa
até chegar no portão do meu castelo!




Música do Dia: Voz no Ouvido
Composicão:Jairzinho Oliveira
Interpretação: Pedro Mariano

Tava esperando um telefonema teu
Tava precisando de uma voz no ouvido
Tava imaginando teu olhar mirando o meu
Tava desejando um beijo em teu umbigo
Tá legal, falei o que não devia
Me dei mal, amanheceu um novo dia,
Já esqueci, pensei em ti decidi:
Tô aqui esperando pra ver se você vem.

Deixa de lado essa tristeza.
Beija e afasta esse tormento
Deita nesse amor desarrumado
Chega de perder tanto tempo


Fonte: Site Vagalume

sábado, 10 de outubro de 2009




"De repente vejo pousar uma nota de cinqüenta cruzeiros no meu colo. Era uma velha que tinha jogado e saído rápido. A princípio não entendi, mas depois não agüentei e caí na gargalhada. Ela tinha me dado uma esmola. E como dissera meu amigo paraplégico Silvio: ser deficiente também tem suas vantagens" pág 226


"Dei muita sorte na Unicamp, com um sorriso bonito e esse meu machismo liberal. É a minha grande arma, meu sorriso. Não que eu tenha descoberto isso, mas várias garotas se deixaram seduzir por ele. Depois me contavam. É claro que eu comecei a dar maior importância , já que passei grande parte da minha adolescência com uma incrível dificuldade de me aproximar de mulheres." pág 74


Livro: Feliz Ano Velho - Marcelo Rubens Paiva







sexta-feira, 9 de outubro de 2009



Tempo de Colher

Toda semente pede tempo para germinar.
Assim também acontece nos domínios da alma.
Nunca devemos desistir de semear o bem
porque os resultados não se fazem
imediatos aos nossos olhos.
Saibamos esperar com paciência.
No momento justo, as sementes que
houvermos lançado no solo dos corações,
haverão de produzir frutos sazonados.
Semeemos Compreensão e Alegria, Paz e
Coragem, Perdão e Amor.
É da Lei que cada semente produza
segundo a sua própria espécie.
Mais cedo ou mais tarde, a vida restituir-nos-á,
centuplicadamente, o que houvermos ofertado.
Prossigamos no trabalho pela Felicidade
daqueles que mais amamos, aceitando-os
como são, na certeza de que eles
saberão entender e corresponder aos
nossos zelos e atitudes, no tempo justo.

(Desconhecido Autoria)

sábado, 3 de outubro de 2009



Eu Gostava Tanto de Você...

Quantas horas passadas juntos
Quantos planos idealizados
Eu Gostava tanto de Você
O som da tua risada
O briho dos teus olhos
O jeito que tocava meu corpo

Eu gostava tanto de você
O inesquecivel banho de chuva
A mensagem no meio da noite só pra dizer :
"Estou pensando em ti , pequena"
Eu gostava tanto de Você
A coragem de seguir lado a lado
" Vamos viver?"
A sensação maravilhosa do vento batendo
no meu rosto enqto a gente corria pralonge de casa em busca de privacidade
A pipoca com chocolate em dias de mto frio,
assistindo aquele filme antigo
O medo que sentiu qdo te apresentei aos meus pais
Eu gostava tanto de Você
Aquela foto engraçada
O pé na areia...
É ... Eu gostava tanto de Você!
Passado, meu querido passado!!!


Roberta Seoane e Silva em 03/10/09 as 23:19h






A razão e a paixão são o timão e a vela... de nossa alma navegante.
(Kahlil Gibran)



"Quando a dor tomou minh'alma
Quando o colorido se perdeu
Quando meu ego pedia calma
Quando meu corpo desfaleceu
Quando meu mundo estava em guerra
Quando o céu juntou-se a terra
Quando meu coração sangrava em segredo
Quando tudo que eu tinha era medo !
Quando a esperança chegava ao fim elevei minhas preces à Deus
e ouvi uma voz que dizia assim:
Não tema
Um anjo virá ao amanhecer
A cor que outrora se perdeu nesses olhos tu há de ver
Não sofra
A paz ao teu mundo ele trará
Com braços fortes te defenderá
E a tua guerra se findará
Acredite!
Por amor a ti foi reservado
Um presente dos céus lhe será dado
O ANJO que veio te acolher
em tua vida deverá permanecer
Amém!
(Adriana Tólla)

" Aprendi que se aprende errando.
Que o silêncio é a melhor resposta quando se ouve uma bobagem.
Que amigos a gente conquista.
Que os Verdadeiros amigos sempre ficam conosco até o fim.
Que a maldade se esconde atrás de uma bela face.
Que se não se espera a felicidade chegar, mas se procura por ela.
Que sonhar é preciso.
Que Deus não proibe nada em nome do amor"
(Desconheço Autoria)

*Imagens e Textos:
Retirados da Internet